Colaboração:
Afonso Henrique Paione
Profa. Daniela Reis
Prof. Lucas Bueno Pedreira
Prof. Marcos Valério Albinati
Alunos do Colégio Cetem

Designed by
Jatech Informática




Festas Religiosas e Folclóricas em Varginha


Queima de Judas -
É um evento folclórico tradicional. A iniciativa foi do comerciante Antônio da Rosa, era realizada na Praça João Pessoa e no Sábado de Aleluia. Eram feitos testamentos deixando pertences às pessoas de destaque da cidade.

Folia de Reis - No total de 32 grupos atualmente é uma festa realizada pelos foliões nos dias 1 à 6 de Janeiro na Praça da fonte. Antigamente eram realizadas em frente à Cadeia Pública e depois no Largo da Matriz. Há participação de grupos teatrais, encenando o nascimento de Jesus.

Festa do Divino - É uma festa móvel: com novena e quermesse em comemoração ao padroeiro da Igreja Matriz Divino Espírito Santo. Todos os fins lucrativos são direcionados as obras sociais da igreja.

Festa do Mártir São Sebastião - Acontece no mês de Janeiro, novena e quermesse em comemoração ao padroeiro da Igreja Matriz de São Sebastião.

Pastorinhas - Conforme nos conta Margarida Canalonga, a turma das Pastorinhas foi criada em 1.959, por Maria Cândida Rosa, fundadora do Abrigo Santo Antônio. O grupo era formado por meninos e meninas que moravam no Abrigo. As meninas vestiam-se com saia estampada com motivos florais, em vermelho, uma faixa vermelha na cintura e blusa branca. Os meninos vestiam-se com calção igual ao tecido da saia das meninas das pastorinhas e camisa branca. Todos portavam um bastão na mão, que as pastorinhas batiam no chão acompanhando o ritmo das cantigas que cantavam. Três meninos eram escolhidos para representarem os três reis magos e um deles carregavam nas mãos o Menino Jesus. A música ficava por conta da dois voluntários: um tocava viola e o outro concertina. O objetivo da criação das pastorinhas era cantar nas casas de família e as esmolas que recebiam eram posteriormente divididas para as seguintes obras, por Maria Rosa: para a Igreja Matriz do Divino Espírito Santo, para o Seminário e para sua Obra, o Abrigo Santo Antônio. O povo de Varginha muito prestigiou esse trabalho, que após a morte de Maria Rosa, teve continuidade com D.ª Ziza, e após sua morte acabou.

Cavalhada - É uma festa típica celebrada pelos Varginhenses. Transmitida pelos Portugueses no Brasil-Colônia, representa a luta entre cristãos e mouros. Simboliza a conversão, onde o bem vence o mal. A apresentação durava 3 dias e tem início com mascarados espalhados pela cidade, montados em cavalos e trajando roupas grotescas e ficavam irreconhecíveis atrás de suas máscaras pitorescas. Os cristãos vestiam-se com cores brancas e azuis, que representam o céu e sua pureza, e usavam espadas retas simbolizando a retidão da justiça. Os mouros, enfeitavam-se com o vermelho e verde, cores da chama do inferno e das amarguras, com espadas curvas simbolizando o mal. Os cavalos eram enfeitados desde o casco com muitas flores de papel até fitas coloridas. Alguns carregavam latas que fazem muito barulho. Travam desafios, carreiras e lutas entre os grupos, relembrando as ocorridas entre Carlos Magno e os sarracenos, que terminaram com a rendição dos mouros. Diversos jogos acompanham a cavalhada.